23 janeiro 2010

Designer Autoral

 

 

clip_image001

Estúdio Dimaquina – Multishow

 

Ser designer no Brasil é escolher entre a auto-satisfação e o anonimato. Poucos designers são abençoados com a possibilidade de criar com liberdade e ainda serem reconhecidos diretamente por seus projetos, diferente de muitos que acabam escondidos atrás de uma marca.

Eloíze Navalon, coordenadora do curso de Design de Moda da UAM, em entrevista para o blog Moda Brasil + Design, discute a questão de designers anônimos e autorais. Para Elóize, o designer anônimo é aquele profissional que trabalha por trás de uma marca, não tendo seu nome vinculado a sua criação. Isso ocorre com a maior parte dos designers no Brasil, bem diferente do que acontece no restante do mundo, onde o designer é mais valorizado, e algumas marcas até se beneficiam do nome do designer para agregar mais valor ao produto.

Por esse motivo, muitos designers brasileiros preferem trabalhar por conta própria, tanto para empresas nacionais quanto internacionais, hoje com a ajuda da internet as distâncias ficaram mais curtas entre o designer e o cliente, facilitando assim a comunicação e aumentado às possibilidades de mercado. Como fizeram os garotos do Estúdio Dimaquina (dimaquina.com), fundado em 2005 pelos designers Daniel Neves, Nako e Antonio Pedro, que engessaram no designer autoral para criar um design próprio, como eles mesmos dizem: “Existimos para criar histórias, plataformas e ambientes, onde marcas se movimentam, com funcionalidade, eficiência e poesia”.Hoje o Estúdio atende marcas como Multishow e Dazed & Confused, sendo que Daniel mora no Rio de Janeiro e Nako e Antonio mudaram-se para Londres na Inglaterra, mesmo com a distância a equipe trabalha como se estivessem todos no mesmo espaço.

Se o que você deseja é realmente ter seu trabalho reconhecido, será preciso trabalhar muito, e trabalhar com qualidade e competência, um pouco de sorte sempre ajuda, mas o fundamental é não ficar parado esperando a sorte chegar, crie uma identidade própria e grite aos sete ventos. Alguém vai ouvir.

 

Por Paulo Ricardo Martins

Disponível em http://designteatro.wordpress.com/

Nenhum comentário: